2.11.14

Halloween e a propósito há uma coisa que as pessoas são muito e eu não sou excepção à regra

As pessoas são idiossincráticas, e geralmente isso da-lhes graça, às vezes chateia, mas no geral é sempre curioso de ver.

A propósito eu aprendi esta palavra à pouco tempo e gostei tanto dela que a usei sistematicamente até à exaustão semanas a fio, mais ou menos 5 dias por semana. Ou seja onde os outros viam moinhos eu via idiossincrasias gigantes. Aproveito para pedir perdão aos meus amiguinhos do trabalho que tanto sofrem comigo ;)

Aqui fica o significado antes de me alongar:

Idiossincrásico é um adjetivo que se refere à idiossincrasia, que é a maneira de ver, de sentir e de reagir, própria de cada pessoa. É uma forma incomum de se portar perante a sociedade.

Idiossincrático ou idiossincrásico é a predisposição do temperamento de um indivíduo, que faz com que ele sinta de um modo especial e muito seu a influência de diversos agentes. É agir fora dos padrões normais, dos padrões esperados.

Todas as pessoas têm suas preferências, suas simpatias e idiossincrasias, ou seja, seu modo de ver, sentir e reagir diante de seus conceitos e sua visão de vida.

Em psicologia, idiossincrasia é o conjunto de elementos cuja combinação dá o temperamento e o caráter individual. É a particularidade psíquica de um indivíduo.

Bem e porque é que eu sou idiossincrática? porque apesar de ser uma introvertida que finalmente se entende e aceita que tem esse traço de personalidade e ponto final, (qualquer dia falo sobre isso), adoro festas, só penso em festas, tudo para mim pode dar origem a uma festa: o fim de um trabalho desagradável, o dia Mundial da Metereologia, sim porque é que não havia de ter um dia esta coisa do tempo de que reclamamos com gosto porque sim e porque não quando falta conversa ou concentração ou paciência. Bem qualquer razão é boa para se maldizer o tempo, ao menos nunca lhe dizemos mal pelas costas porque ele não as tem.

Enfim adoro festas porque as festas quebram a rotina, e não há nada melhor do que mandar essa cruz ao chão de vez em quando e desfazê-la em pedaços, é claro que depois se tem de se montar outra vez, para não andarmos para ai sem rei nem rock? é assim que isto se escreve?

E porque é que é bom quebrar a rotina? Porque é a diferença que deixa memórias, porque quebrar a rotina faz a vida render mais, dá-nos a percepção de que o tempo passa mais devagar, permite olhar para trás e dizer, esta semana vivi, hoje vivi, amanhã vou viver mais e melhor, porque no meio do mau, existe o bonito, o bom, o que dá alento. Existe um mundo para além da zona de conforto demarcada entre outras coisas justamente pela rotina.

Esta percepção sobre a passagem do tempo tem  naturalmente uma explicação científica bastante verosímil. Quando um dia ou uma semana nos pareceram passar muito rápido isso quer dizer que o nosso cérebro teve pouco conteúdo novo á sua disposição para processar e guardar, ou seja, se não fizemos nada novo, diferente, menos parte da rotina, menos comum, nada se destaca no fim da semana e por isso a nossa massa cinzenta percepciona-a como tendo passado num ápice, embora tenha tido exactamente as mesmas horas de sempre sem tirar nem pôr que as outras todas.

Bem isto tudo porque eu fiz uma festa ontem e gostei muito de a fazer, deu um alento diferente aos meus dias prepara-la, ocupou-me a cabeça e as mãos, fez-me sentir produtiva e a inércia de que por vezes padeço nunca me faz sentir bem.

Enfim foi muito divertida, e ajuda para além de tudo o resto a relembrar porque raio é que gostamos tanto dos nossos amigos.


Agora vou pôr aqui umas fotos e já sabem quando precisarem de uma festa catita (este post pelos vistos está a revelar que é auto-promocional ;) chamem o António! ou claro a mim, mas atenção é a pagar que isto de brincar aos designers foram anos a fio a bater no ceguinho!