4.6.15

#Somostodoshipocritas ou sobre como nos sabem bem os caracóis e se varre o resto para debaixo do tapete



Como carne. Bifes de lombo, mas a maioria das vezes uma febritas de porco, como frango, frito, assado, estufado, cozido na canja, como bifinhos de peru, que a carne branca faz melhor, como codornizes, faz-me mais confusão confesso, mas fecho os olhos que sabe tão bem...não gosto é de coelhos, porque a Matilde me morreu nas mãos.

Como caracóis, só nunca como lagosta porque não tenho dinheiro. De resto gosto muito muito de animais.

Por exemplo adoro gatinhos, derreto-me com caezinhos, acho os coelhinhos lindos, morro de amores por ratinhos, hamsters, chinchilas. Sou grande fã de pássaros, Acho as vacas muito bonitas e fotogénicas. Os porquinhos muito queridos, as galinhas muito engraçadas, os caracóis muito bucólicos.

Não como gatos aqui porque aqui por acaso não se comem gatos. Sou hipócrita e mais do que hipócrita sou fraca.

Se tivesse de matar um animal com as minhas mãos arranjava alternativa. Sei alguma coisa, nem perto de metade, sobre os malefícios do consumo de carne e dos seus derivados. Também sei alguma coisa sobre os enormes prejuízos associados à produção de carne para este sitiozinho em que vivemos, não é portugal, é a terra, e que achamos ter aos nosso pés, mas que já esteve mais longe de se abrir toda num buraco e fechar em morte.

Sou hipócrita e sou fraca, continuo a comer a vaca e o porco que sofrem, a galinha que nunca devia ter nascido, os caracóis que preferiam de certeza morrer ao sol.

Sou fraca e sou hipócrita mas percebo o mérito de pessoas que são menos fracas e hipócritas do que eu (porque de resto a hipocrisia está para o homem como a morte está para a existencia de deus, são indissociáveis, daí se não somos hipócritas pelo que comemos temos 1001 coisas por onde o ser).

Vou continuar a comer caracóis, porque sou fraca, hipócrita e reles, assim é a maioria, mas fico contente por haver gente que se importa e de resto sei que um dia nos vamos importar todos.

Bem se calhar não nós, esperamos nós num impeto optimista que a ansiedade dá cabo do estomago mas os filhos dos filhos que quiça vamos colocar no mundo se calhar não vão ter outra alternativa que não seja importar-se. 

Achamos que mandamos nisto, mas basta uma rabanada de vento, uma onda maior, um dia de muito calor, um tremor grande e já não comemos mais caracóis, mas antes disso se calhar já a poluição nos causou um cancro e nos matou, ou então mataram-nos os anos a comer merda.

Sou hipócrita e sou fraca, mas pelo menos sei que o sou.




Já agora ide para o caralho com as alfaces, (que de grelos também vive o homem!) só pode ser usado como piada, mas estranhamente há quem arremesse como argumento...e deu deus um polegar oponível a quem nasceu acéfalo.